Cirurgiões de quadril realizam procedimento em paciente com covid-19 no HC

Cirurgiões de quadril realizam procedimento em paciente com covid-19 no HC

    O médico ortopedista e traumatologista Neri Omizzolo já realizou mais de 2 mil cirurgias de quadril ao longo de 25 anos de carreira. No entanto, recentemente, ele teve uma experiência nova: conduzir um procedimento com uma paciente de 80 anos contaminada pela covid-19. “O quadro clínico indicava que a cirurgia de quadril era a alternativa para garantirmos a sobrevivência dela, a retirada da dor e a recuperação de suas funções motoras. Esse é o trabalho do médico, ajudar o paciente a resolver seus problemas, buscando garantir qualidade, segurança e o melhor resultado possível’, resume Omizzolo, que contou durante a operação com o apoio do cirurgião auxiliar, Rodrigo Mocelin - seu colega na Clínica de Pronto Atendimento de Ortopedia e Reabilitação; do médico anestesiologista, André Rigo; e das demais equipes de profissionais do Hospital de Caridade de Erechim, que sediou o procedimento em seu bloco cirúrgico.


Cuidados redobrados

    Colocando-se na linha de frente do cuidado, Omizzolo conta que todas as pessoas envolvidas na operação tomaram as precauções necessárias por se tratar de uma paciente com teste positivo para o novo coronavírus - o que significou um aparato extra de equipamentos de proteção individual. “Nunca havia operado vestindo tantos aventais, luvas e máscaras. No entanto, fomos bem sucedidos em todos os aspectos”, destaca o médico, que completa: “para melhorar, quatro dias depois, a paciente teve alta hospitalar e se recupera bem da cirurgia e da covid-19”.

    Além disso, o procedimento em si foi realizado num tempo mais curto, evitando a exposição dos presentes.


Evolução 

    Conforme Omizzolo, a cirurgia foi o caminho escolhido para evitar que a paciente evoluísse a quadros que poderiam acarretar de trombose a infecções, comuns nestes casos. “Quanto antes se opera, mais cedo a pessoa tem condições de voltar à vida normal”, explica o especialista. 

    Ele também lembra que a cirurgia de quadril foi uma das que mais evoluiu na medicina. ‘Antigamente, o paciente levava de 45 a 90 dias para se recuperar, hoje, dependendo do caso, ele está recuperado em até 24 horas”. Isso se dá pela evolução da técnica cirúrgica, como a mini-incisão anatômica, e o fato de utilizarmos próteses mais modernas, além da capacitação dos cirurgiões. 


Saiba mais:

O que é a prótese de quadril?

A prótese substitui a articulação do quadril, permitindo o caminhar e a volta das funções normais utilizando materiais biocompatíveis, como ácido inoxidável, titânio e cerâmica.


Em quais situações a prótese é utilizada?

Em regra, ela é utilizada em caso de artrose (desgaste da cartilagem), fraturas, tumores e correção de deformidades. 


Osteoporose, a vilã

    Segundo Omizzolo, a causa mais comum da fratura de quadril do idoso é a osteoporose (perda da massa óssea), que se dá, substancialmente em mulheres (cinco casos em mulheres para cada homem) e pode estar ligada a fatores como a menopausa (hormonal), sedentarismo, uso de corticóide, tabagismo, consumo de álcool, além de histórico familiar. Atualmente, existe tratamento eficaz para osteoporose.



GALERIA


  • Centro de Diagnóstico por imagem CDI

    CENTRO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM - CDI

    Eficiência e Profissionalismo

    O Centro de Diagnóstico por Imagem está estruturado para oferecer serviços diferenciados e eficientes. Ver mais
  • laboratório

    LABORATÓRIO

    Tecnologia de Ponta em Análises

    Nosso laboratório dispõe de modernos recursos tecnológicos e de uma qualificada equipe de profissionais. Ver mais