30 de outubro: Dia Nacional de Alerta para Doenças Reumáticas (Reumatismos)

Especialista afirma que a enfermidade não acomete somente pessoas com idade avançada, podendo atingir também crianças e adolescentes

30 de outubro: Dia Nacional de Alerta para Doenças Reumáticas (Reumatismos)

    Popularmente conhecido como reumatismo, as doenças reumáticas atingem atualmente cerca de 15 milhões de brasileiros de todas as idades, segundo dados do Ministério da Saúde. Celebrado no dia 30 de outubro, o dia nacional de luta contra o reumatismo foi criado para conscientizar a população em relação a necessidade do seu diagnóstico precoce e tratamento adequado. Atualmente, segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, existem mais de 120 doenças reumatológicas catalogadas e por conta da imprecisão do termo “reumatismo” ele está cada vez mais em desuso.

    Segundo a especialista em Reumatologia, Árien Eliza Oldoni, do Corpo Clínico do Hospital de Caridade de Erechim, o termo “Reumatismo” é utilizado para designar diversas doenças inflamatórias que afetam as articulações – as juntas – os ossos, os músculos, os tendões e os ligamentos, além de diversas doenças autoimunes que podem afetar qualquer órgão, inclusive pulmões, coração, cérebro e rins.


COMO SE MANIFESTAM

    De acordo com Árien Oldoni, as doenças reumatológicas podem se manifestar de forma aguda ou, mais frequentemente, crônica (sintomas persistentes e progressivos que duram mais de 3 meses) e podem causar grandes prejuízos físicos e emocionais, principalmente se não diagnosticadas e tratadas corretamente.

    Segundo a médica, a maioria das doenças reumatológicas afeta mais mulheres na meia idade e o risco de desenvolvimento aumenta conforme o passar dos anos. “Porém, é importante salientar que as doenças reumatológicas não acometem exclusivamente os idosos, sendo que muitas doenças são até mais frequentes em pessoas jovens, homens ou até mesmo crianças”, destaca.


AS DOENÇAS

    As doenças mais comuns na reumatologia são:

- Lúpus: doença inflamatória crônica, autoimune, que causa lesões de pele desencadeadas pela exposição solar, úlceras (aftas) na boca e no nariz, inchaço nas articulações e pode afetar qualquer órgão do corpo. Acomete principalmente em mulheres jovens, porém pode ocorrer em qualquer idade.

- Síndrome de Sjögren: doença autoimune que causa secura na boca e nos olhos, inchaço nas articulações, pode afetar o sistema nervoso e aumenta o risco de linfoma.

- Osteoartrite: antigamente chamada de artrose, doença crônica em que existe desgaste, perda de cartilagem articular e degeneração dos ossos que compõem a articulação. 

- Fibromialgia: doença que causa dores crônicas generalizadas, fadiga (cansaço), sono não reparador, sintomas cognitivos como dificuldade de atenção e memória, dor de cabeça frequente e sintomas depressivos e de ansiedade associados.

- Artrite Reumatoide: doença inflamatória crônica que afeta as articulações, causando dor, vermelhidão, inchaço, rigidez nas articulações após períodos de repouso e deformidades a longo prazo.

- Esclerodermia: doença autoimune, crônica e inflamatória, onde a pele se torna mais espessa, brilhante e escura associada a alterações da coloração das extremidades do corpo, que se tornam pálidas ou azuladas quando expostas a temperaturas frias. Na forma sistêmica da doença, qualquer órgão pode ser afetado, principalmente pulmões e coração.

- Artrite psoriásica: doença associada à psoríase cutânea, onde o sistema imunológico provoca inflamação na pele, nas articulações e até na coluna vertebral, causando dor, inchaço e vermelhidão nas articulações e rigidez na coluna vertebral.

- Espondilite anquilosante: doença crônica que afeta principalmente homens jovens e cursa com dor na região das nádegas e na coluna vertebral, e causa perda de mobilidade e rigidez vertebral.

- Osteoporose: fragilidade óssea que não causa dor e não tem sintoma, normalmente sendo descoberta após uma fratura, já quando a doença está avançada.

- Gota: depósitos de ácido úrico nas articulações, causando inflamação nas mesmas, podendo causar deformidades e problemas renais.

    A médica também cita outras como artrite reativa, artrite idiopática juvenil, vasculites, polimialgia, dermatomiosite e polimiosite, síndrome anti-fosfolípide e outras doenças autoimunes.


SINTOMAS

    Árien salienta que, de forma geral, o principal sintoma é a dor persistente, que limita o paciente nas suas atividades rotineiras como escovar os dentes e arrumar a casa e não é desencadeada após contusão e/ou trauma, ou seja, sem motivo aparente.

    Porém, conforme explica, outros sintomas podem estar presentes como fraqueza muscular ou nas articulações, inchaços, enrijecimento das articulações pela manhã ou nas últimas horas da noite. E, ainda, sintomas gerais como cansaço, perda de peso, desânimo e febre podem estar associados.


TRATAMENTOS

    De acordo com a reumatologista, a especialidade cresceu muito nos últimos anos e novos medicamentos surgiram, o que fez melhorar a qualidade de vida dos pacientes. “O tratamento deve ser individualizado e engloba educação do paciente com relação à doença, controle da inflamação e da dor através do uso de medicamentos, reabilitação com fisioterapia e exercícios físicos regulares e mudanças alimentares”, esclarece. 

    Ela destaca que, assim que realizado o diagnóstico, o tratamento deve iniciar o mais breve possível para se evitar deformidades e limitações físicas irreversíveis. “Medicamentos analgésicos, anti-inflamatórios, imunomoduladores, imunossupressores e, mais recentemente, imunobiológicos podem ser utilizados, assim como injeções intra-articulares, conforme indicação”, comenta.


PREVENÇÃO

    Para a médica, a prevenção envolve diversas medidas de manutenção de hábitos de vida saudáveis, como a prática de exercícios físicos regulares, uma alimentação adequada rica em frutas, legumes e proteínas e uma boa qualidade do sono. “O sobrepeso e a obesidade, assim como estresse excessivo, tabagismo e álcool são fatores de risco importantes. Portanto, deve-se evitá-los, a fim de minimizar o risco de desenvolvimento de doenças reumatológicas”, aconselha.


MITOS E VERDADES SOBRE O REUMATISMO

    Reumatismo é doença de velho - isso é um mito já que doenças como artrite reumatoide, lúpus, artrite psoriásica, espondilite anquilosante, artrite idiopática juvenil e outras, afetam crianças, jovens e adultos.

    Sentir dor é normal ou consequência da idade - isso não é verdade, toda dor persistente deve ser investigada.

    Quem possui reumatismo não pode fazer exercício físico - a grande maioria das doenças reumáticas melhoram com o exercício físico regular, porém antes é necessária uma avaliação do médico assistente para indicar as melhores opções.

    Muitas doenças reumatológicas afetam o emocional do paciente – sim, muitas condições afetam a autoestima e causam desânimo nos pacientes, falar sobre isso com seu médico é importante pois ele poderá lhe ajudar a encontrar atividades ou apoio psicológico adequado.


SAIBA MAIS

    Perguntas que os pacientes mais fazem quando procuram um médico reumatologista:

Meu reumatismo tem cura? 

A maioria das doenças reumatológicas são crônicas, ou seja, não tem cura porém tem tratamento para melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Quanto tempo vou precisar usar esse medicamento? 

A duração do tratamento é sempre individualizada e vai depender da gravidade da doença, acometimentos e respostas às medicações prescritas.

Por que sinto mais dor no frio? 

Não existe uma explicação comprovada e causa única, mas, para algumas condições, o frio impacta na percepção da dor e ficamos mais sensíveis à dor.  Com as temperaturas mais baixas, a nossa musculatura tende a ficar contraída, realizando uma contração involuntária para aumentar a temperatura, aquecendo assim, o organismo. Ainda, em dias mais frios, normalmente, estamos menos dispostos a praticar exercícios. “E justamente ele, o exercício, é o nosso grande aliado no combate às dores reumáticas”, finaliza a reumatologista Árien Oldoni.



  • Centro de Diagnóstico por imagem CDI

    CENTRO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM - CDI

    Eficiência e Profissionalismo

    O Centro de Diagnóstico por Imagem está estruturado para oferecer serviços diferenciados e eficientes. Ver mais
  • laboratório

    LABORATÓRIO

    Tecnologia de Ponta em Análises

    Nosso laboratório dispõe de modernos recursos tecnológicos e de uma qualificada equipe de profissionais. Ver mais